Dr. Luiz Guedes » Microagulhamento

Matérias

Microagulhamento

Eficiência e Praticidade: Conheça as Vantagens do Microagulhamento

A cada dia que passa o microagulhamento se torna popular e almejado no mundo da estética. Um procedimento simples, que leva menos de 40 minutos para ser realizado e que promete renovar toda a pele a ponto de reduzir melasmas e apagar marcas causadas por acnes. O que para muitos parece ficção, hoje pode ser visto como realidade e está mais acessível que nuca.

Seu diferencial está no resultado natural e na suavidade da pele após o procedimento e seu respectivo tempo de recuperação. O microagulhamento é a tendência estética entre as famosas e os resultados rápidos são tentadores para quem deseja melhorar a qualidade da pele de forma natural e com saúde.

Indução Percutânea de Colágeno (ICPA)

O microagulhamento consiste na formação de lesões controladas na camada subcutânea da pele, estimulando o funcionamento do sistema inflamatório de modo a garantir que os fibroblastos que são responsáveis pela produção de colágeno voltem a agir. O processo conta com a perfuração de microagulhas em 4 diferentes direções utilizando um pequeno roller, onde as agulhas permitem a criação de novos vasos sanguíneos ao mesmo tempo em que criam novos canais para a entrada de nutrientes no tecido da pele.

O processo inflamatório, associado à ação dos fibroblastos, estimulam a criação de colágeno, elastina e ácido hialurônico por até 8 meses, dando uma aparência saudável, natural e tonificada à pele. Embora seja um processo relativamente doloroso e invasivo, não contém nenhum tipo de química ou composição artificial, permitindo que o próprio organismo alcance seus melhores resultados de forma orgânica e natural.

As Agulhas

Para realizar o microagulhamento é necessário um roller, objeto semelhante à um cilindro, que sustenta entre 200 e 400 microagulhas e é estruturado por uma haste que permite que o cilindro corra livremente pela pele. Cada roller pode ser utilizado apenas uma vez e a higiene e assepsia tanto do material quanto da própria pele devem ser motivo de atenção na hora do procedimento.

As microagulhas variam com espessuras entre 0,25mm e 3mm, tendo cada uma delas uma função específica para a pele. As agulhas mais grossas são recomendadas para o corpo, enquanto as mais finas são destinadas ao rosto e às áreas mais delicadas. A estimulação do colágeno, no entanto, só se dá com agulhas que possuem a partir de 0,5mm, visto que as demais apenas permitem a permeação de nutrientes para a pele, sendo recomendadas para hidratação e tratamentos mais superficiais.

O profissional deve recomendar agulhas que atendam a necessidade de cada paciente, e caso o mesmo se queixe de qualquer dor, é possível aplicar pomadas anestésicas ou anestesia local para que o procedimento seja indolor. As agulhas foram desenvolvidas para atingirem determinada camada da pele, mas sem causar ferimentos graves. As lesões causadas são controláveis e não causam nenhum risco à saúde.

Benefícios do Microagulhamento

Os resultados do microagulhamento podem ser vistos já nos primeiros 15 dias após a aplicação, contudo, seu ápice é dado aos três meses, quando o colágeno já está devidamente normalizado e a pele começa a ganhar uma nova estrutura de sustentação.

Entre os principais objetivos de quem recorre ao microagulhamento, a redução de manchas causadas pela acne é a mais popular, visto que ao estimular a produção de colágeno, elastina e ácido hialurônico o microagulhamento permite que o tecido se reformule e elimine as imperfeições, deixando a pele macia e, principalmente, uniforme.

Contudo, o procedimento também é recomendado para a redução de melasma de todas as intensidades, além de melhorar o fechamento dos poros e a textura da pele. Em caso de cicatrizes superficiais, o microagulhamento consegue reduzir significativamente os sinais, tornando-as marcas sutis e imperceptíveis, na maioria dos casos. O microagulhamento também ajuda no processo de rejuvenescimento facial, facilitando a permeação ativa de compostos e nutrientes e melhorando a aparência e a saúde da pele.

Microagulhamento no Corpo

Apesar de ser um procedimento popular para o rosto, também é possível realizar o microagulhamento por todo o corpo, reduzindo significativamente as marcas de celulites, flacidez e até mesmo para incentivar a nutrição do tecido da pele através da criação de novos vasos sanguíneos. Em diversas regiões, o microagulhamento proporciona a redução da pigmentação de manchas, deixando um efeito mais natural e suave sob a pele.

Sendo assim, o microagulhamento pode ser utilizado não apenas como um tratamento pontual e detalhista, como também se torna um procedimento prático para regiões maiores como culotes e coxas, onde é utilizado para estimular a produção de colágeno e assim reestruturar os tecidos, deixando a pele mais firme sem que pareça artificial.

Contraindicações

Entre as contraindicações para a aplicação do microagulhamento estão pacientes com inflamações recentes no rosto ou com algum tipo de herpes, visto que são sinais visíveis de baixa resistência e de alta propensão às contaminações externas. Além disso, pacientes com diabetes, com tendência à formação de queloides ou com pele demasiadamente sensível também devem evitar tal procedimento.

Mulheres gestantes e pessoas imunossupressoras não estão autorizadas a realizar o microagulhamento, pois não conseguem se recuperar da mesma forma que um paciente comum, logo, não alcançam o objetivo desejado com o procedimento estético.

Cuidados Após o Procedimento

Após realizar o microagulhamento é preciso ter muito cuidado com a pele, especialmente por se tratar de um procedimento que gera pequenos ferimentos, suscetíveis à entrada de quaisquer organismos externos que podem vir a infeccionar a lesão causada pela agulha e desencadear uma série de machucados pelo rosto. Sendo assim, logo após o procedimento é necessário aplicar um creme específico, que irá nutrir as aberturas e proteger levemente a pele.

Em seguida, será preciso manter a pele longe da exposição solar e ainda assim trata-la com protetor solar. A higiene deve ser feita constantemente com produtos específicos para a assepsia e deve-se evitar levar as mãos diretamente ao rosto ou aproximar-se de animais domésticos para garantir que o organismo consiga fechar todos os orifícios de forma gradual e orgânica, proporcionando assim o efeito natural e suave do microagulhamento.

Por se tratar de um procedimento com efeitos em longo prazo, é importante que seja realizado o tratamento contínuo com produtos específicos e com o pH adequado para a pele em recuperação. A ingestão de Vitamina C e proteína também faz grande diferença nos resultados do microagulhamento, pois ajuda o organismo na produção de colágeno. Converse com seu esteticista e busque produtos que estejam de acordo com a sua pele e que não prejudiquem o microagulhamento ou inibam a produção de colágeno.

A popularidade do microagulhamento cresce a cada dia, mas é importante ressaltar o procedimento deve sempre ser feito sempre por um profissional e não deve, de forma alguma, ser realizado com material reutilizado (mesmo que esterilizado) ou feito em casa.




Dr. Luiz Guedes

Matérias

Microagulhamento

Eficiência e Praticidade: Conheça as Vantagens do Microagulhamento

A cada dia que passa o microagulhamento se torna popular e almejado no mundo da estética. Um procedimento simples, que leva menos de 40 minutos para ser realizado e que promete renovar toda a pele a ponto de reduzir melasmas e apagar marcas causadas por acnes. O que para muitos parece ficção, hoje pode ser visto como realidade e está mais acessível que nuca.

Seu diferencial está no resultado natural e na suavidade da pele após o procedimento e seu respectivo tempo de recuperação. O microagulhamento é a tendência estética entre as famosas e os resultados rápidos são tentadores para quem deseja melhorar a qualidade da pele de forma natural e com saúde.

Indução Percutânea de Colágeno (ICPA)

O microagulhamento consiste na formação de lesões controladas na camada subcutânea da pele, estimulando o funcionamento do sistema inflamatório de modo a garantir que os fibroblastos que são responsáveis pela produção de colágeno voltem a agir. O processo conta com a perfuração de microagulhas em 4 diferentes direções utilizando um pequeno roller, onde as agulhas permitem a criação de novos vasos sanguíneos ao mesmo tempo em que criam novos canais para a entrada de nutrientes no tecido da pele.

O processo inflamatório, associado à ação dos fibroblastos, estimulam a criação de colágeno, elastina e ácido hialurônico por até 8 meses, dando uma aparência saudável, natural e tonificada à pele. Embora seja um processo relativamente doloroso e invasivo, não contém nenhum tipo de química ou composição artificial, permitindo que o próprio organismo alcance seus melhores resultados de forma orgânica e natural.

As Agulhas

Para realizar o microagulhamento é necessário um roller, objeto semelhante à um cilindro, que sustenta entre 200 e 400 microagulhas e é estruturado por uma haste que permite que o cilindro corra livremente pela pele. Cada roller pode ser utilizado apenas uma vez e a higiene e assepsia tanto do material quanto da própria pele devem ser motivo de atenção na hora do procedimento.

As microagulhas variam com espessuras entre 0,25mm e 3mm, tendo cada uma delas uma função específica para a pele. As agulhas mais grossas são recomendadas para o corpo, enquanto as mais finas são destinadas ao rosto e às áreas mais delicadas. A estimulação do colágeno, no entanto, só se dá com agulhas que possuem a partir de 0,5mm, visto que as demais apenas permitem a permeação de nutrientes para a pele, sendo recomendadas para hidratação e tratamentos mais superficiais.

O profissional deve recomendar agulhas que atendam a necessidade de cada paciente, e caso o mesmo se queixe de qualquer dor, é possível aplicar pomadas anestésicas ou anestesia local para que o procedimento seja indolor. As agulhas foram desenvolvidas para atingirem determinada camada da pele, mas sem causar ferimentos graves. As lesões causadas são controláveis e não causam nenhum risco à saúde.

Benefícios do Microagulhamento

Os resultados do microagulhamento podem ser vistos já nos primeiros 15 dias após a aplicação, contudo, seu ápice é dado aos três meses, quando o colágeno já está devidamente normalizado e a pele começa a ganhar uma nova estrutura de sustentação.

Entre os principais objetivos de quem recorre ao microagulhamento, a redução de manchas causadas pela acne é a mais popular, visto que ao estimular a produção de colágeno, elastina e ácido hialurônico o microagulhamento permite que o tecido se reformule e elimine as imperfeições, deixando a pele macia e, principalmente, uniforme.

Contudo, o procedimento também é recomendado para a redução de melasma de todas as intensidades, além de melhorar o fechamento dos poros e a textura da pele. Em caso de cicatrizes superficiais, o microagulhamento consegue reduzir significativamente os sinais, tornando-as marcas sutis e imperceptíveis, na maioria dos casos. O microagulhamento também ajuda no processo de rejuvenescimento facial, facilitando a permeação ativa de compostos e nutrientes e melhorando a aparência e a saúde da pele.

Microagulhamento no Corpo

Apesar de ser um procedimento popular para o rosto, também é possível realizar o microagulhamento por todo o corpo, reduzindo significativamente as marcas de celulites, flacidez e até mesmo para incentivar a nutrição do tecido da pele através da criação de novos vasos sanguíneos. Em diversas regiões, o microagulhamento proporciona a redução da pigmentação de manchas, deixando um efeito mais natural e suave sob a pele.

Sendo assim, o microagulhamento pode ser utilizado não apenas como um tratamento pontual e detalhista, como também se torna um procedimento prático para regiões maiores como culotes e coxas, onde é utilizado para estimular a produção de colágeno e assim reestruturar os tecidos, deixando a pele mais firme sem que pareça artificial.

Contraindicações

Entre as contraindicações para a aplicação do microagulhamento estão pacientes com inflamações recentes no rosto ou com algum tipo de herpes, visto que são sinais visíveis de baixa resistência e de alta propensão às contaminações externas. Além disso, pacientes com diabetes, com tendência à formação de queloides ou com pele demasiadamente sensível também devem evitar tal procedimento.

Mulheres gestantes e pessoas imunossupressoras não estão autorizadas a realizar o microagulhamento, pois não conseguem se recuperar da mesma forma que um paciente comum, logo, não alcançam o objetivo desejado com o procedimento estético.

Cuidados Após o Procedimento

Após realizar o microagulhamento é preciso ter muito cuidado com a pele, especialmente por se tratar de um procedimento que gera pequenos ferimentos, suscetíveis à entrada de quaisquer organismos externos que podem vir a infeccionar a lesão causada pela agulha e desencadear uma série de machucados pelo rosto. Sendo assim, logo após o procedimento é necessário aplicar um creme específico, que irá nutrir as aberturas e proteger levemente a pele.

Em seguida, será preciso manter a pele longe da exposição solar e ainda assim trata-la com protetor solar. A higiene deve ser feita constantemente com produtos específicos para a assepsia e deve-se evitar levar as mãos diretamente ao rosto ou aproximar-se de animais domésticos para garantir que o organismo consiga fechar todos os orifícios de forma gradual e orgânica, proporcionando assim o efeito natural e suave do microagulhamento.

Por se tratar de um procedimento com efeitos em longo prazo, é importante que seja realizado o tratamento contínuo com produtos específicos e com o pH adequado para a pele em recuperação. A ingestão de Vitamina C e proteína também faz grande diferença nos resultados do microagulhamento, pois ajuda o organismo na produção de colágeno. Converse com seu esteticista e busque produtos que estejam de acordo com a sua pele e que não prejudiquem o microagulhamento ou inibam a produção de colágeno.

A popularidade do microagulhamento cresce a cada dia, mas é importante ressaltar o procedimento deve sempre ser feito sempre por um profissional e não deve, de forma alguma, ser realizado com material reutilizado (mesmo que esterilizado) ou feito em casa.