Dr. Luiz Guedes » Telômeros

Matérias

Telômeros

A Função dos Telômeros no Organismo

Os telômeros são complexos formados por DNA e proteína que estão presentes nas extremidades de cada cromossomo de modo a impedir o desgaste e garantir a preservação do material genético durante as divisões celulares. Essas pequenas partículas protetoras tendem, no entanto, a se desgastar com o tempo, reduzindo seu comprimento e desencadeando a morte das células uma vez que esgotadas.

Os telômeros funcionam, segundo a Nobel de fisiologia e medicina, como as pontas de plástico em um cadarço, de modo a proteger o material e não expor suas extremidades. Contudo, ao contrário dos demais componentes da célula, o telômero não pode ser reposto ou refeito, fazendo com que sua extensão diminua a cada divisão celular e que seja possível calcular sua duração no organismo através de sua extensão. Diversos profissionais calculam a estimativa de vida de um paciente através da extensão dos telômeros e de sua quantidade, prevendo por quanto tempo ainda haverá uma divisão celular saudável que supra as necessidades do organismo.

A Descoberta de Elizabeth Blackburn

Elizabeth Blackburn tornou-se conhecida em 2009 após conquistar o Nobel da fisiologia e medicina com sua pesquisa acerca dos telômeros, publicada no livro “O Segredo Está nos Telômeros”, onde aponta a importância das extremidades cromossômicas como forma de apontar a longevidade de um indivíduo e inclui a descoberta da enzima telomerase como forma de prevenir o encurtamento dos telômeros, melhorando o bem-estar e apontando melhoras significativas na expectativa de vida.

Além disso, em seu estudo Blackburn aponta dicas que podem melhorar os níveis de telomerase e, consequentemente, garantir maior retardamento do encurtamento dos telômeros. Segundo as pesquisas, hábitos estressantes e a alimentação interferem diretamente na oxidação e desencadeiam um processo de divisão celular acelerado que prejudica diretamente a ação dos telômeros, visto que estes começam a encurtar de forma mais rápida.

Expectativa de Vida e Longevidade

Os telômeros dizem muito sobre a saúde de um indivíduo, sobre seus hábitos e sobre a sua expectativa de vida. Uma pessoa que bebe refrigerantes diariamente, por exemplo, possui um alto consumo diário de açucares, motivo pelo qual seus telômeros são equivalentes aos de uma pessoa cerca de 4 anos mais velha.

Sendo assim, é possível determinar a longevidade e melhorar a qualidade de vida apenas com a análise dos telômeros, verificando se há possibilidade mudanças em nível celular de modo a induzir uma maior produção enzimática da telomerase ou se os hábitos alimentares e físicos já são bons o bastante para garantir a qualidade de vida.

Os telômeros são, portanto, definidores da longevidade de cada indivíduo, pois apontam o nível celular no qual o organismo está estabilizado e possibilitam a previsão de doenças causadas pelo envelhecimento celular, como câncer, doenças cardíacas, leucemia, cirrose no fígado e alguns distúrbios intestinais.

O Papel da Telomerase na Proteção dos Telômeros

A enzima telomerase, presente em grandes quantidades nas células-tronco e produzida através de hábitos saudáveis e boa alimentação, é responsável por promover uma proteção aos telômeros e preservar sua extensão durante mais tempo, visto que o desgaste do telômero é o verdadeiro responsável por sua redução nas divisões celulares.

Com a presença da enzima telomerase, os desgastes são retardados e há um aumento na expectativa de vida. Portanto, ao invés de prezar pela saúde dos telômeros, visto que isso é impossível, devemos buscar formas eficientes de produzir a enzima que os protege, estendendo assim o tempo determinado pelo relógio biológico dos telômeros.

Formas de Evitar o Desgaste dos Telômeros

Elizabeth Blackburn aponta em seu estudo diversos métodos de manter um alto nível enzimático de telomerase, aumentando sua produção e agindo diretamente na proteção e prevenção do encurtamento dos telômeros, que por sua vez estarão protegendo os cromossomos e todo o material genético do organismo.

O estresse diário e a violência foram apontados como principais sintomas do desgaste dos telômeros. Tais fatores forçam o organismo a gerar novas células, aumentando a replicação das mesmas e consequentemente, encurtando o comprimento dos telômeros.

Para combater esse estresse oxidativo no organismo, Blackburn recomenda a mudança de hábitos e a valorização da saúde. Primeiramente, é necessário manter uma rotina de sono livre de transtornos, deixando os smartphones de lado e tendo no mínimo 7 horas de sono contínuo todos os dias. Nesse caso, é importante salientar que o sono deve ser de qualidade, proporcionando descanso e permitindo que o organismo funcione sem distúrbios.

Além disso, a prática de exercícios físicos também interfere diretamente na produção da enzima telomerase, visto que o organismo já estará queimando calorias e reduzindo os níveis de açúcares e gorduras ali presentes. Caminhadas e corridas entre 10 e 45 minutos todos os dias já garantem diferença na expectativa de vida, mantém os telômeros protegidos e um dia a dia saudável, agindo também no alívio do estresse.

Por fim, Elizabeth Blackburn ressalta a importância da alimentação balanceada, nutritiva, rica em minerais e antioxidantes, pois dessa forma é possível garantir que o corpo estará funcionando em equilíbrio e a produção de telomerase poderá ser destinada para tratar dos telômeros e do material genético. O consumo de açúcares e de alimentos processados é, no entanto, extremamente prejudicial à saúde e pode vir a desencadear doenças em longo prazo.

Os Telômeros e a Clonagem

Como curiosidade, vale citar um experimento que conquistou o mundo e que, infelizmente, não obteve uma longa história devido à necessidade de telômeros no organismo. A clonagem da ovelha Dolly, realizada em 1996, sofreu as consequências do envelhecimento precoce devido ao tamanho dos telômeros utilizados no processo de replicação.

Enquanto um filhote nasce com longos telômeros, um indivíduo adulto já possui o desgaste causado pelo tempo, ainda mais quando tratamos de determinados animais, que possuem um tempo de vida ainda mais curto que o humano.  Consequentemente, a ovelha clonada não possuía telômeros longos o bastante para garantir muitos anos de vida e os cientistas puderam comprovar a verdadeira influência dos telômeros no processo de envelhecimento e expectativa de vida.

Os telômeros, embora não tão conhecidos na mídia, são parte fundamental do mecanismo celular e o cuidado para preservar sua extensão deve ser diário e contínuo. Em caso de dúvidas acerca da saúde de seus telômeros, vale a pena consultar um médico especialista e analisar as possibilidades de melhoria para aumentar a produção de telomerase e assim garantir uma vida longa, saudável e livre de preocupações!




Dr. Luiz Guedes

Matérias

Telômeros

A Função dos Telômeros no Organismo

Os telômeros são complexos formados por DNA e proteína que estão presentes nas extremidades de cada cromossomo de modo a impedir o desgaste e garantir a preservação do material genético durante as divisões celulares. Essas pequenas partículas protetoras tendem, no entanto, a se desgastar com o tempo, reduzindo seu comprimento e desencadeando a morte das células uma vez que esgotadas.

Os telômeros funcionam, segundo a Nobel de fisiologia e medicina, como as pontas de plástico em um cadarço, de modo a proteger o material e não expor suas extremidades. Contudo, ao contrário dos demais componentes da célula, o telômero não pode ser reposto ou refeito, fazendo com que sua extensão diminua a cada divisão celular e que seja possível calcular sua duração no organismo através de sua extensão. Diversos profissionais calculam a estimativa de vida de um paciente através da extensão dos telômeros e de sua quantidade, prevendo por quanto tempo ainda haverá uma divisão celular saudável que supra as necessidades do organismo.

A Descoberta de Elizabeth Blackburn

Elizabeth Blackburn tornou-se conhecida em 2009 após conquistar o Nobel da fisiologia e medicina com sua pesquisa acerca dos telômeros, publicada no livro “O Segredo Está nos Telômeros”, onde aponta a importância das extremidades cromossômicas como forma de apontar a longevidade de um indivíduo e inclui a descoberta da enzima telomerase como forma de prevenir o encurtamento dos telômeros, melhorando o bem-estar e apontando melhoras significativas na expectativa de vida.

Além disso, em seu estudo Blackburn aponta dicas que podem melhorar os níveis de telomerase e, consequentemente, garantir maior retardamento do encurtamento dos telômeros. Segundo as pesquisas, hábitos estressantes e a alimentação interferem diretamente na oxidação e desencadeiam um processo de divisão celular acelerado que prejudica diretamente a ação dos telômeros, visto que estes começam a encurtar de forma mais rápida.

Expectativa de Vida e Longevidade

Os telômeros dizem muito sobre a saúde de um indivíduo, sobre seus hábitos e sobre a sua expectativa de vida. Uma pessoa que bebe refrigerantes diariamente, por exemplo, possui um alto consumo diário de açucares, motivo pelo qual seus telômeros são equivalentes aos de uma pessoa cerca de 4 anos mais velha.

Sendo assim, é possível determinar a longevidade e melhorar a qualidade de vida apenas com a análise dos telômeros, verificando se há possibilidade mudanças em nível celular de modo a induzir uma maior produção enzimática da telomerase ou se os hábitos alimentares e físicos já são bons o bastante para garantir a qualidade de vida.

Os telômeros são, portanto, definidores da longevidade de cada indivíduo, pois apontam o nível celular no qual o organismo está estabilizado e possibilitam a previsão de doenças causadas pelo envelhecimento celular, como câncer, doenças cardíacas, leucemia, cirrose no fígado e alguns distúrbios intestinais.

O Papel da Telomerase na Proteção dos Telômeros

A enzima telomerase, presente em grandes quantidades nas células-tronco e produzida através de hábitos saudáveis e boa alimentação, é responsável por promover uma proteção aos telômeros e preservar sua extensão durante mais tempo, visto que o desgaste do telômero é o verdadeiro responsável por sua redução nas divisões celulares.

Com a presença da enzima telomerase, os desgastes são retardados e há um aumento na expectativa de vida. Portanto, ao invés de prezar pela saúde dos telômeros, visto que isso é impossível, devemos buscar formas eficientes de produzir a enzima que os protege, estendendo assim o tempo determinado pelo relógio biológico dos telômeros.

Formas de Evitar o Desgaste dos Telômeros

Elizabeth Blackburn aponta em seu estudo diversos métodos de manter um alto nível enzimático de telomerase, aumentando sua produção e agindo diretamente na proteção e prevenção do encurtamento dos telômeros, que por sua vez estarão protegendo os cromossomos e todo o material genético do organismo.

O estresse diário e a violência foram apontados como principais sintomas do desgaste dos telômeros. Tais fatores forçam o organismo a gerar novas células, aumentando a replicação das mesmas e consequentemente, encurtando o comprimento dos telômeros.

Para combater esse estresse oxidativo no organismo, Blackburn recomenda a mudança de hábitos e a valorização da saúde. Primeiramente, é necessário manter uma rotina de sono livre de transtornos, deixando os smartphones de lado e tendo no mínimo 7 horas de sono contínuo todos os dias. Nesse caso, é importante salientar que o sono deve ser de qualidade, proporcionando descanso e permitindo que o organismo funcione sem distúrbios.

Além disso, a prática de exercícios físicos também interfere diretamente na produção da enzima telomerase, visto que o organismo já estará queimando calorias e reduzindo os níveis de açúcares e gorduras ali presentes. Caminhadas e corridas entre 10 e 45 minutos todos os dias já garantem diferença na expectativa de vida, mantém os telômeros protegidos e um dia a dia saudável, agindo também no alívio do estresse.

Por fim, Elizabeth Blackburn ressalta a importância da alimentação balanceada, nutritiva, rica em minerais e antioxidantes, pois dessa forma é possível garantir que o corpo estará funcionando em equilíbrio e a produção de telomerase poderá ser destinada para tratar dos telômeros e do material genético. O consumo de açúcares e de alimentos processados é, no entanto, extremamente prejudicial à saúde e pode vir a desencadear doenças em longo prazo.

Os Telômeros e a Clonagem

Como curiosidade, vale citar um experimento que conquistou o mundo e que, infelizmente, não obteve uma longa história devido à necessidade de telômeros no organismo. A clonagem da ovelha Dolly, realizada em 1996, sofreu as consequências do envelhecimento precoce devido ao tamanho dos telômeros utilizados no processo de replicação.

Enquanto um filhote nasce com longos telômeros, um indivíduo adulto já possui o desgaste causado pelo tempo, ainda mais quando tratamos de determinados animais, que possuem um tempo de vida ainda mais curto que o humano.  Consequentemente, a ovelha clonada não possuía telômeros longos o bastante para garantir muitos anos de vida e os cientistas puderam comprovar a verdadeira influência dos telômeros no processo de envelhecimento e expectativa de vida.

Os telômeros, embora não tão conhecidos na mídia, são parte fundamental do mecanismo celular e o cuidado para preservar sua extensão deve ser diário e contínuo. Em caso de dúvidas acerca da saúde de seus telômeros, vale a pena consultar um médico especialista e analisar as possibilidades de melhoria para aumentar a produção de telomerase e assim garantir uma vida longa, saudável e livre de preocupações!